11 de Julho de 2019, 09:10
  -  Sem Caterogia - Sem Cidade
Justiça requer prisão preventiva de empresários Anapolinos

Decisão foi tomada com base em indicativos de que representantes da empresa Pérola Distribuição e Logística coordenaram práticas criminosas.

 

O juiz de Direito da 10ª Vara Criminal da Comarca de Teresina (PI) assinou dois mandados de busca e apreensão domiciliar e decretou a prisão preventiva contra dois empresários anapolinos. A decisão prevê ainda extração de dados dos aparelhos celulares dos representados.

 

A decisão foi tomada com base em indicativos de que representantes da empresa Pérola Distribuição e Logística teriam coordenado a prática de crimes tributários. Acontece que empresas fantasmas foram destinatárias de notas fiscais supostamente emitidas pelo Grupo Pérola, controlado por tais representantes.

 

O fisco estadual identificou um total de nove notas fiscais de salda do grupo em questão para empresas fantasmas. Conforme a simulação de cálculo de ICMS sonegado, o montante é de R$ 116.446.428,09.

 

Para a Justiça não resta dúvidas de que os vendedores do grupo sabiam que as empresas destinatárias eram fantasmas. Por meio de delação premiada, foi notificado à Justiça, inclusive, que os gestores da empresa tinham ciência das operações ilegais.

 

Os mandados foram cumpridos na manhã da última terça-feira, 9, pelos delegados de Polícia Civil, João José Pereira e Josimar de Sousa Brito. Ambos pertencentes a Delegacia de Combate aos Crimes contra a Ordem Tributária e contra as Relações de Consumo do Estado do Piauí (Deccoterc-Grincot). Os telefones celulares de ambos foram apreendidos.

 

O juiz autorizou, de imediato, a extração de arquivos digitais de e-mails, WhatsApp, Facebook e outros, pela perícia técnica da Polícia Civil. Fonte : Jornal opção

BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO