20 de Novembro de 2020, 07:26
  -  Notícias - Goiás
Primo suspeito de matar advogado em Nerópolis é preso em Rubiataba

Novas imagens divulgadas pela Polícia Civil mostram que o homem preso suspeito de matar o advogado Ricardo Xavier Nunes, de 54 anos, em Nerópolis, na região central de Goiás, foi até a casa da vítima em torno de 1 hora antes do crime. Segundo a Polícia Civil, vítima e suspeito eram primos e já tinham um histórico de desentendimento, mas a família nega essa versão.

 

 

 

Em nota, o advogado de defesa de Miller Diogo de Oliveira Nascimento, suspeito do crime, disse que desde a prisão ele vem contribuindo com as investigações. A defesa negou que exista uma relação do caso com o exercício da advocacia e que espera a finalização do inquérito para tomar as medidas que entendem cabíveis.

 

 

 

O crime aconteceu na manhã do último sábado (14). Segundo a polícia, as novas imagens contradizem o depoimento do suspeito, que disse que tinha ido até a casa da vítima para tirar satisfação apenas uma vez. Na verdade, a imagem revela que o suspeito esteve no local às 6h50, no dia do crime, mas ninguém abriu o portão. O crime aconteceu por volta de 8h.

 

 

 

De acordo com o delegado André Fernandes, esse vídeo pode comprovar a premeditação do crime.

 

 

 

Investigação

 

 

 

O suspeito foi preso 12 horas após o assassinato, na cidade de Rubiataba, a cerca de 180 km de Nerópolis. Segundo o delegado, ele foi encontrado na casa de conhecidos. Após ser preso, o suspeito foi ouvido e encaminhado para a Unidade Prisional de Goianápolis, onde permanece preso até esta quinta-feira (19).

 

 

 

Ainda conforme a polícia, em depoimento, o suspeito confessou o crime e disse ter atirado em Ricardo porque, na noite anterior, após uma discussão, a vítima foi até a casa do pai dele e atirou com o objetivo de atingir o idoso.

 

 

 

No entanto, segundo o investigador, testemunhas ouvidas durante o inquérito policial alegaram que não houve disparo, pois o barulho foi causado por bombas usadas pela vítima para espantar uma onça.

 

 

 

Mulher de Ricardo, a advogada Lorena Xavier Nunes afirmou que o marido nunca tinha tido desentendimento com o primo e não entende o motivo do crime.

 

 

 

Segundo o delegado, o inquérito deve ser concluído hoje sexta-feira (20), quando deve indiciar o suspeito por homicídio duplamente qualificado por motivo fútil. Se condenado, ele pode pegar até 30 anos de prisão.

 

 

 

Câmera registrou o crime

 

 

 

A câmera de segurança também registrou quando o advogado sai de casa para ir ao encontro do primo, que está na traseira de uma caminhonete. A conversa leva poucos minutos. Logo, o atirador saca a arma, dispara contra Ricardo e foge. A vítima fica caída na calçada.

BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO