11 de Setembro de 2020, 13:11
  -  Crime - Rio de Janeiro
Justiça nega soltura de um dos filhos de Flordelis

Adriano dos Santos Rodrigues, um dos filhos biológicos da parlamentar Flordelis (PSD-RJ), teve seu pedido de liberdade provisória negado pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, titular da terceira vara criminal de Niterói.

 

 

Dias antes, o próprio Ministério Público do Rio de Janeiro já havia concordado com o pedido apresentado pela defesa, com a imposição de medidas cautelares diferentes da prisão, como a proibição de acesso à casa da família, a imóveis e locais de culto ligado à igreja da mãe, a proibição de contato com Flordelis e outros réus.

 
 

 

 

Adriano está preso no Complexo Penitenciário de Gericinó, na zona oeste do Rio. Ele foi denunciado por ter participado de uma fraude que envolvia uma falsa carta, na qual Lucas, filho adotivo, assumia a autoria dos disparos contra o pastor Anderson do Carmo. Adriano não é acusado de envolvimento na morte do pastor e nem nas tentativas de envenenamento. 

 

 

Na mesma decisão, a juíza Nearis Carvalho dos Santos Arce também negou o pedido de revogação da prisão preventiva de Andreia dos Santos Maia. Ela é casada com ex-PM, Marcos Siqueira Costa , e também é acusada, junto ao marido que está preso em Bangu, de participar da farsa da carta, mas responde ainda por associação criminosa e uso de documento falso.

 

 

Pesou na decisão o fato de, apesar de ela não responder por homicídio, o fato de ter antecedentes criminais. Ela teria auxiliado em todas as etapas da falsificação da carta e atrapalhando as investigações. No caso dela, o MP não concordou com a revogação da prisão. 

 

 

O defensor de Adriano, Luiz Felipe de Alves e Silva, disse que vai pedir Habeas Corpus no Tribunal de Justiça para seu cliente. O pedido deve ser apresentado até segunda-feira, porque a defesa depende da publicação da decisão. Segundo a defesa, a decisão é arbitrária, e o crime a ele imputado, se houver condenação, não resultará em prisão. O advogado de Andreia, Carlos Melo, diz que a liberdade não coloca em risco nenhuma garantia do processo e que irá recorrer no TJ.

 

 

A decisão atendeu também a um pleito da defesa de Flordelis: concedeu aos advogados da deputada o acesso às provas processuais. A deputada, Adriano e outros parentes são réus no processo que investiga a morte do Pastor Anderson do Carmo em junho de 2019

FONTE CNNBRASIL

BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO