25 de Julho de 2020, 10:35
  -  Entretenimento - Goiás
Nutricionista dá dicas de como driblar fome emocional provocada pela ansiedade em tempos de pandemia

A nutricionista goiana Isabela Correia Borges dá dicas de como driblar a fome emocional provocada pela ansiedade por conta da pandemia do coronavírus. A especialista revela que muita gente tenta descontar a ansiedade ingerindo alimentos considerados não saudáveis e que podem causar doenças. As dicas fazem parte do projeto Leve a Vida.

 

 

"A gente tenta descontar o que está sentindo, comendo. Nunca é uma salada. Geralmente, nessas situações, são alimentos mais calóricos, ricos em gordura e açúcares. Uma bola de neve que pode acarretar em várias doenças", explica.

 

 

Fome emocional

 

A pandemia tem causado transtornos na vida de muita gente. A fotógrafa Thais Santos, de 27 anos, conta que, após dois anos trabalhando sem férias, resolveu visitar o namorado na Argentina. A viagem aconteceu no dia 18 de fevereiro e tinha data de volta para o Brasil marcada para 26 de março. Mas, em meio às férias, o país decretou quarentena e fronteiras fechadas por causa da pandemia de coronavírus.

 

 

Thais relata que a situação provocou muita ansiedade e, com isso, ela começou a descontar na alimentação, o que a nutricionista chama de fome emocional. Ela revela que engordou mais de 4kg em menos de dois meses.

 

 

No início foi mais agoniante. Fiquei muito ansiosa, engordei 4kg em menos de dois meses. Era muita preocupação de conseguir voltar para o Brasil, família, cachorros. A vontade era de sair comendo tudo pela frente. Pizza, empanada, só besteira. E o almoço sempre bem caprichado”, diz.

 

 

Veja algumas dicas da nutricionista

 

 

  1. Identifique o que está causando a fome emocional. A ansiedade - por não saber quando a pandemia vai passar - o medo de perder o emprego, a falta de dinheiro, problemas nos relacionamentos amorosos e familiares podem gerar essa fome;
  2. Faça um diário alimentar e sentimental. Todos os dias escreva o que comeu e por qual motivo fez aquela refeição, seja fome, vontade de comer, angústia, etc. Assim, você consegue identificar de onde está vindo a compulsão e pode tentar controlar esse comportamento;
  3. Faça atividades que te dão prazer. Dançar, meditar, ler um livro, correr, andar no parque - atividades que te proporcionem um sentimento de satisfação;
  4. Evite comprar alimentos calóricos e industrializados. A fome emocional nos faz querer comer produtos mais gordurosos, mas, se não tiver em em casa fica mais difícil de consumir;
  5. Faça escolhas alimentares inteligentes. Alimentos integrais ajudam muito mais na sensação de saciedade que alimentos pobres em fibras. As fibras auxiliam a ter uma absorção mais lenta e, com isso, a insulina é liberada aos poucos, fazendo com que a saciedade dure mais tempo. Escolha comer pão integral no lugar de pão francês, queijo branco no lugar da muçarela, molho de tomate ao invés de molho branco;
  6. Comece a fazer uma reeducação alimentar. Comendo da maneira correta e com equilíbrio, os seus neurotransmissores são transmitidos de forma regular para que tudo no seu organismo flua da melhor forma possível, evitando ansiedade e, assim, a fome emocional.

 

Fonte:G1-GO

 

 

 

 
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO