12 de Maio de 2018, 11:09
  -  Política - Goiânia
Luiz Gustavo Sampaio ressalta a importância da participação das mulheres no meio político


Durante grande parte da História do Brasil, as mulheres não tiveram participação na política, pois a elas eram negados os principais direitos políticos como, por exemplo votar e se candidatar. Somente em 1932, durante o governo de Getúlio Vargas, as mulheres conquistaram o direito do voto. Também puderam se candidatar a cargos políticos.

 

O Direito de Votar

 

Embora comumente se diga que as mulheres brasileiras ganharam o direito ao voto no código eleitoral de 1932, é importante destacar que, enquanto o voto era obrigatório para os homens alfabetizados (excetuado os mendigos, analfabetos e praças), o código previa que: Art. 121. Os homens maiores de sessenta anos e as mulheres em qualquer idade podem isentar-se de qualquer obrigação ou serviço de natureza eleitoral.

 

 

A exceção prevista no artigo, na prática, definia que as mulheres votariam se assim o quisesse seus pais, no caso das mulheres solteiras, ou seus maridos, no caso das casadas. A constituição de 1946 definiu que o voto era obrigatório, exceto para as mulheres “que não exerciam atividades remuneradas”, ou seja, a maioria das mulheres casadas continuavam submissa à vontade de seus maridos. Foi apenas no código eleitoral de 1965 que os direitos e obrigações eleitorais foram igualados entre homens e mulheres. Hoje nos cabe fazer valer esse direito, ir votar e fazer nossas escolhas conscientes e livres de qualquer amarra patriarcal.

 

 

 

Lugar de mulher é onde ela quiser

 

 

Se a representação das mulheres no Legislativo federal brasileiro já é entristecedora, no Executivo o cenário de mulheres presentes na política é no mínimo vergonhoso. Desde a proclamação da República o Brasil já teve 35 presidentes e somente 1 deles foi uma mulher: Dilma Rousseff. Também foi no governo dela que as mulheres ganharam maior visibilidade ao assumirem a chefia de 8 ministérios em seu primeiro mandato e depois 9 ao ser reeleita.

 

Atrás dela fica o Presidente Lula que contou com 6 mulheres em seus ministérios no segundo mandato, frente a 2 mulheres no primeiro mandato. No governo de FHC foram somente 2 mulheres no primeiro mandato e outras 3 mulheres após sua reeleição. Nos governos dos Presidentes Sarney, Fernando Collor e Itamar Franco somente duas mulheres também ganharam cargos de chefia de ministérios. Estamos avançando? No atual governo Temer só há 1 ministra mulher. Volto a repetir: lugar de mulher também é no Executivo Federal.

 

Luiz Gustavo Sampaio defende que as mulheres têm que ter mais espaço na política, pois ele sabe, que nada mais eficaz para atender os anseios das mulheres, do que colocar mulheres em situação de poder fazer algo, ou seja dar poder para as mulheres, e não apenas dar voz.

 

Texto : Layane Moreira

Imagens