14 de Agosto de 2019, 12:30
  -  Justiça - Jaraguá
Presos de Jaraguá rejeitam comida alegando falta de qualidade e higiene

Presos da cadeia pública de Jaraguá rejeitaram o almoço fornecido por uma empresa que prepara e embalam as refeições diárias para a unidade prisional recém-inaugurada.

 

Segundo informações prestadas pelo juiz Liciomar Fernandes da Silva, sua presença na unidade prisional teria sido um pedido feito pelos próprios presos, e que foi atendido pela administração da cadeia.

 

O magistrado disse ainda que os detentos usam a situação da alimentação como um subterfúgio por causa das novas regras de segurança adotada no presídio.

 

Os detentos reclamaram da qualidade e da quantidade das refeições servidas, que segue um cardápio diário, variando entre carnes e verduras, além de leite e banana na parte da manhã.

 

Com a presença do juiz na unidade, houve uma conversa entre o magistrado e os detentos, que, segundo fontes apuradas pela produção, os presos seguem orientação de um líder dentro da cadeia, que teria sido o motivador do princípio de rebelião.

 

Alguns detentos aproveitaram a presença do juiz da Vara Criminal de Jaraguá para pedir vista em suas penas.

 

Por requerimento do juiz Liciomar Fernandes, a Vigilância Sanitária compareceu no local para fazer análise na qualidade da refeição servida, e que havia sido rejeitada pelos detentos na manhã desta terça-feira (13), cujo parecer técnico será apresentado nos próximos dias pela Secretaria Municipal de Saúde ao juizado.

 

Com base no parecer da fiscalização, a justiça poderá requisitar melhorias, tanto na qualidade dos alimentos, quanto no processo de fabricação.

 

Fonte: Folha de Jaraguá 

BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO
BANNER PUBLICITÁRIO